• Document: TERAPÊUTICA DAS ALTERAÇÕES DO EQUILÍBRIO ÁCIDO-BÁSICO
  • Size: 103.27 KB
  • Uploaded: 2019-06-12 15:12:58
  • Status: Successfully converted


Some snippets from your converted document:

TERAPÊUTICA DAS ALTERAÇÕES DO EQUILÍBRIO ÁCIDO-BÁSICO• Introdução O pH do líquido extracelular é uma das variáveis mais rigorosamente reguladas do organismo. Os limites vitais da variação do pH para mamíferos estão geralmente entre 7,0 e 7,8. A faixa normal de pH varia no sangue arterial entre 7,36 e 7,44, e o pH médio é de 7,4. Em condições normais, os ácidos ou bases são adicionados continuamente aos líquidos corporais, seja por ingestão ou como resultado de sua produção no metabolismo celular. Na doença, condições tais como ventilação respiratória insuficiente, vômitos, diarréia ou insuficiência renal podem causar perda ou ganho incomuns de ácido ou base. Para combater esses distúrbios, o organismo utiliza três mecanismos principais: tamponamento químico, ajuste respiratório da concentração sangüínea de dióxido de carbono e excreção de íons hidrogênio e bicarbonato pelos rins. Alterações do equilíbrio ácido-básico A Diferença Aniônica (DA), também chamada de “lacuna” ou fenda iônica, é a diferença das concentrações totais do soro aniônico (íons bicarbonato e cloreto, incluindo os ânions não medidos) e catiônico (cátions sódio e potássio, incluindo cátions não medidos), sendo uma das ferramentas úteis na detecção das alterações eletrolíticas e ácido-básicas, como acidoses metabólicas hiper e normoclorêmica e perturbações ácido-básicas mistas. Entretanto, a avaliação através da DA deve ser completada com avaliações laboratoriais quantitativas de pH arterial e pressão de gás carbônico. Na acidose metabólica normoclorêmica, a DA é alta devido ao déficit de bicarbonato não compensado pelo cloreto, já que os ânions do ácido permanecem no meio extracelular. A uremia, cetoacidose diabética, intoxicações (principalmente por etilenoglicol) e acidose láctica são enquadradas nesse distúrbio. Na acidose metabólica hiperclorêmica, a DA é considerada normal devido à compensação do bicarbonato perdido, no tamponamento, pelo cloreto no fluído extracelular. Os distúrbios ácido-básicos mistos podem ocorrer quando não houver proporcionalidade entre o aumento da DA e a diminuição do bicarbonato, pois a concentração do bicarbonato plasmático e o pH sangüíneo nesse caso, podem ser modificados independente da DA alta. • Seminário apresentado pelo aluno RODRIGO NESTOR ETGES na disciplina BIOQUÍMICA DO TECIDO ANIMAL, no Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, no primeiro semestre de 2005. Professor responsável pela disciplina: Félix H. D. González. Defesas contra mudanças na concentração de hidrogênio: tampões, pulmões e rins Existem três sistemas primários que regulam a concentração de íons hidrogênio nos líquidos corporais para evitar o desenvolvimento de acidose ou alcalose: (1) os sistemas químicos de tampões ácido-básicos dos líquidos corporais, que, imediatamente, se combinam com ácido ou base, impedindo a ocorrência de alterações excessivas da concentração de íons hidrogênio; (2) o centro respiratório, que controla a remoção de CO2 (e portanto H2CO3 ) do líquido extracelular; e (3) os rins, que pode excretar urina ácida, ou alcalina, reajustando assim a concentração de íons hidrogênio do LEC para a normalidade durante a acidose ou a alcalose. Quando ocorre alguma alteração da concentração de íons hidrogênio, os sistemas tampões dos líquidos corporais reagem em fração de segundos para minimizar essas mudanças. Os sistemas tampão não eliminam os íons hidrogênio do organismo, nem os adicionam, mas, apenas, os mantêm inalterados até que o equilíbrio possa ser restabelecido. A segunda linha de defesa, o sistema respiratório, também atua em poucos minutos para eliminar o CO2 e, portanto, o H2CO3 do organismo. Essas duas primeiras linhas de defesa impedem a alteração excessiva da concentração de íons hidrogênio, até que a terceira linha de defesa, de resposta mais lenta, os rins, possa eliminar o excesso de ácido, ou de base, do organismo. Embora sejam relativamente lentos para responder, quando comparados com as defesas disponíveis, os rins constituem, sem dúvida alguma – dentro de períodos que vão de algumas horas a vários dias – o mais potente dos sistemas reguladores ácido-básicos. Acidose metabólica A acidose metabólica é caracterizada por uma queda no pH e na concentração de - HCO3 . Pode ser causada pelo aumento de íons H+ ou pela perda de bicarbonato. O primeiro evento pode ser devido ao acúmulo de ácido láctico ou de corpos cetônicos, em alguns estados fisiológicos como exercício exagerado, jejum prolongado, diabetes ou cetose em vacas recém paridas ou em ovelhas com gestação avançada. O segundo evento pode ser pode ser devido à - falhas renais que levem a uma menor capacidade de reter HCO3 ou par

Recently converted files (publicly available):