• Document: Autismo: papel do Fonoaudiólogo e a Inclusão na escola
  • Size: 2.31 MB
  • Uploaded: 2019-01-13 23:22:49
  • Status: Successfully converted


Some snippets from your converted document:

Autismo: papel do Fonoaudiólogo e a Inclusão na escola Palestrantes: Francielle Martins e Julia Tognozzi Orientadoras: Profª Drª Dionísia Ap. Cusin Lamonica e Fga. Ms. Camila da Costa Ribeiro O que é autismo? • Considerado Transtorno Invasivo do Desenvolvimento:  Desenvolvimento anormal ou alterado, manifestado antes dos 3 anos.  Perturbação nos seguintes domínios: interação social, comunicação e comportamento.  Acompanhado de outras manifestações como fobias, perturbações do sono, da alimentação, agressividade e interação. (CID-10, 2000) Histórico • A expressão autismo foi utilizada pela primeira vez por Bleuler em 1911, para designar a perda do contato com a realidade, o que acarretava uma grande dificuldade ou impossibilidade de comunicação. • Em 1943, Kanner usou a mesma expressão para descrever 11 crianças que tinham em comum o comportamento. Então, sugeriu que se tratava de uma inabilidade inata para estabelecer contato efetivo e interpessoal e que era uma síndrome bastante rara, mas, provavelmente, mais frequente do que o esperado. GADIA. C.A et al. Autismo e doenças invasivas de desenvolvimento. Jornal de Pediatria - Vol. 80, Nº2(Supl), 2004 Diagnóstico Baseado em características de comportamento. Diagnóstico • O diagnóstico é realizado pelo neurologista ou neuropediatra • Raramente é diagnosticado antes dos 2 anos • O diagnóstico precoce é essencial para a eficácia da intervenção inicial, no momento em que o cérebro é mais plástico. Baird, G. et al. (2006); Knapp, M. et al. (2007); Palomo, R. et al. (2006) Elsabbagh, M. andJohnson,M.H. (2007) Autism Spectrum Disorder Caracteriza-se por: •Déficits na comunicação social e interação social •Atividades, interesses e comportamentos restritos e repetitivos. •Rigidez e resistência a mudanças •Ausência de reciprocidade social ou emocional Prevalência A prevalência de autismo tem variado de 40 a 130 por 100.000, ocupando o terceiro lugar entre os distúrbios do desenvolvimento, na frente das malformações congênitas e da Síndrome de Down. GADIA. C.A et al. Autismo e doenças invasivas de desenvolvimento. Jornal de Pediatria - Vol. 80, Nº2(Supl), 2004 Etiologia Etiologias múltiplas Fatores Fatores Fatores Alterações genéticos ambientais Neurológicos neuroquímicas (Hansen et al, 2006) Fatores genéticos • Evidências principais que apontam para a contribuição de fatores genéticos na base desta perturbação: 1. Os irmãos de autistas têm mais 6% de probabilidade de ter esta perturbação. 2. Estimativas apontam que menos de 10% dos casos de autismo são causados por doenças genéticas tais como o X- frágil e esclerose tuberosa . 3. Os familiares de indivíduos com autismo demonstram um conjunto de diferenças cognitivas e sociais que não são encontradas em outros grupos familiares. • Muhle et al, 2004 Fatores ambientais • Os fatores mais estudados compreendem: 1. Agentes teratogénicos 2. Infecções 3. Exposição a tóxicos 4. Stress pré-natal Fatores neurológicos Défices no Diferenças de Maior perímetro hemisfério simetria no giro Disfunção no lobo cefálico esquerdo do lobo fusiforme temporal frontal temporal Células da Aumento do Envolvimento do amígdala são volume cerebelar tronco cerebral menores (Singh et al, 2002) (Herbert et al, 2003) (Zibovicius et al, 2000). Alterações neuroquímicas 1. Alterações da serotonina 2. Alterações do sistema dopaminérgico 3. Alterações das endorfinas (Whitaker-Azmitia, 2001) (Johnson et al.,2006) Tríade autista Comunicação • Alteração em níveis:

Recently converted files (publicly available):